Como você faz qualquer coisa,
você faz tudo.

 

“A maneira como você faz qualquer coisa, você faz tudo” (T. Harv Eker). Uma vez estava nos EUA em um evento de 4 dias com um dos maiores nomes do coaching a um custo de 10 mil dólares! Uma colega, que estava no curso, havia feito um empréstimo, cursou um intensivo de inglês, moveu mundos e fundos e, com muita dificuldade, estava lá. Chamou a minha atenção o fato dela passar o treinamento quase todo no celular, olhando as coisas mais banais nas redes sociais e sempre que o professor propunha um exercício ela dizia: “ah, não vamos fazer esse”. Aquilo me parecia uma heresia, depois de tanto esforço, ela simplesmente “desistiu”.

Conversando com ela comecei a perceber que a história se repetia. Uma grande paixão, depois de muita luta, era deixada para trás. O projeto de mudança de carreira, uma batalha hercúlea e igual desfecho. As histórias tinham o mesmo pano de fundo: um enorme esforço seguido de uma falta de interesse e abandono. Aquele curso mostrava exatamente como ela agia em todas as áreas da vida.

Você está há tempos prorrogando uma decisão e se sente paralisado? Cumpra aquela promessa de passar o dia só por conta do seu filho que tantas vezes foi adiada, por exemplo. Não consegue organizar o fluxo de caixa da empresa? Comece organizando a gaveta da sua escrivaninha. Tem medo de estabelecer um compromisso sério com alguém? Se comprometa a visitar seu pai idoso uma vez por semana.

Com a consciência de que “como fazemos qualquer coisa, fazemos todas as coisas” podemos promover grandes e desafiadoras transformações. Observe, com muita atenção, os detalhes do seu dia: a forma como você prepara seu alimento, como se dirige às pessoas, as inofensivas promessas que você não cumpre. Invertendo esse fluxo, você fará as grandes coisas serem impactadas pelas pequenas atitudes.