O Poder da Palavra

 

Eu desafio você a prestar muita atenção a tudo o que fala durante um dia de sua vida. Opiniões, interjeições, vícios de linguagem, declarações categóricas e a cada coisa que sair da sua boca. Observe o tom, a intenção, o conteúdo e o significado. Procure pelas clássicas afirmações repetidas constantemente: “comigo nada dá certo” ou “é por isso que o Brasil não vai para frente”. Repare como você chama um bebê: “ai que sem vergonha”, “danadinho”, as pequenas expressões no final de conversas “isso é complicado”, “não tem jeito”. Se a todo o momento você exclama “a vida não é fácil”, observe se ela tem sido assim. Note se o que você diz é o que você quer ou o que você não quer. Quase sempre quando pergunto aos meus clientes o que desejam, eles me respondem exatamente o oposto: “eu não quero mais aquele emprego”, “não quero mais que ele me trate desta forma”. Um discurso contra a guerra tem sua energia diametralmente oposta a um a favor da paz.

Sabemos hoje que atraímos para o nosso campo vibracional a energia que emanamos, portanto tornar-se mais consciente do que você expressa verbalmente é um grande passo para transformar a sua vida. Lembre-se: palavra é energia, ela move e cria tudo em nossa existência. É como uma semente, se você planta abobrinhas adivinha o que vai nascer? Suas palavras são fundamentadas no medo, ansiedade, escassez ou no amor, abundância e alegria?

Comece agora mesmo a expressar o que quer, use interjeições mais leves e amorosas, dê aos outros o tratamento que gostaria de receber, até mesmo as escolhas de apelidos, aparentemente inofensivos, como “moleque” ou “cachorra” são fronteiras interessantes sobre o que estamos compartilhando em nossas relações. Esteja consciente da energia que você traz para o momento presente e viva mais feliz. E tenho dito.